UGT UGT

Filiado à:


Filiado Filiado 2
Home | Notícias
Home | Notícias

NOTÍCIAS

Dieese: Cesta básica encarece em 11 cidades no mês de setembro


11/10/2021

Imagem fonte: Agência Brasil










Brasília, Campo Grande e São Paulo tiveram as maiores altas, segundo levantamento


A cesta básica no mês de setembro ficou mais salgada para as famílias de 11 cidades brasileiras. De acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos (PNCBA), publicada nesta quarta-feira (6) pelo Departamento Intersindical de Estatísticas Socioeconômicas (DIEESE), a cidade de Brasília registrou alta de 3,88%, seguida por Campo Grande e São Paulo, que registraram aumento de 3,53%.

 


O estudo considera 17 capitais brasileiras. Em 6 delas, as cestas não registraram alta nos valores.


A cesta considerada pelo levantamento é composta por 13 produtos alimentícios em quantidades suficientes para garantir, no período de um mês, o sustento e bem-estar de um trabalhador em idade adulta. Os bens e quantidades estipuladas foram diferenciados por região, de acordo com os hábitos alimentares locais.


Em valores absolutos, as três cestas mais caras são, respectivamente, São Paulo (R$673,45); Porto Alegre (R$ 672,39) e Florianópolis (R$ 662,85).




Já a relação entre o custo da cesta básica e o salário mínimo líquido, que considera o desconto previdenciário de 7,5%, o estudo revela que os paulistas remunerados pelo piso nacional comprometeram 66,19% do salário na compra de alimentos básicos. Em Campo Grande, esse percentual corresponde a 62%. A média nacional é de 56,5%.




Para Reginaldo Breda, secretário-geral da FEEB-SP/MS, a alta dos preços é consequência direta do aumento da inflação e atinge diretamente o poder de compra do s trabalhadores. "Isso mostra como a inflação reduz o poder de compra do trabalhador, uma vez que a alta dos alimentos corrói o poder de compra das famílias, que muitas vezes precisam optar em fazer rodízio de contas para manter a alimentação básica. Essa situação se agrava com a pandemia, uma vez que novos hábitos são inseridos no cotidiano das pessoas", afirma.



Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos

A Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos (PNCBA) é um levantamento contínuo dos preços de um conjunto de produtos alimentícios considerados essenciais. A PNCBA foi implantada em São Paulo em 1959, a partir dos preços coletados para o cálculo do Índice de Custo de Vida (ICV) e, ao longo dos anos, foi ampliada para outras capitais. Hoje, é realizada em 17 Unidades da Federação e permite a comparação de custos dos principais alimentos básicos consumidos pelos brasileiros.

Fonte: FEEB



logo

UGT - União Geral dos Trabalhadores


Rua Formosa, 367 - 4º andar - Centro - São Paulo/SP - 01049-911 - Tel.: (11) 2111-7300
© 2021 Todos os direitos reservados.