UGT UGT

Filiado à:


Filiado Filiado 2
Home | UGT Press | UGT Press 601: Uruguai passa Chile, Argentina e Brasil
Home | UGT Press | UGT Press 601: Uruguai passa Chile, Argentina e Brasil

UGT Press

UGT Press 601: Uruguai passa Chile, Argentina e Brasil


13/03/2018

FRENTE AMPLA: o governo de centro esquerda do Uruguai tem conseguido avançar econômica e socialmente, surpreendendo seus vizinhos, todos agora com governos de direita, de inegável tendência neoliberal. A Frente Ampla foi criada em 1971 por Liber Seregni, um militar de esquerda. Contudo, logo foi reprimida e colocada na ilegalidade. Sua principal liderança foi presa. Mais de 30 anos depois, em 2004, a Frente Ampla, já uma coalização de partidos de centro e esquerda, chegou ao poder com Tabaré Vazquez. Depois dele veio Pepe Mujica e, de novo, Tabaré Vazquez. No total serão 15 anos de governo da Frente Ampla, com boas chances de fazer o sucessor. Hoje, o principal credenciado é Daniel Martinez, mas a eleição ainda está muito longe.

 

GOVERNO POPULAR: no governo, a Frente Ampla vem obtendo bons resultados, apesar de algumas medidas polêmicas, como foi o caso da legalização da maconha, atualmente uma tendência mundial. Um governo popular, com viés não neoliberal, que não flexibiliza a legislação trabalhista e que segue com sua previdência social inalterada, tendo em seu interior, como parte dele, dirigentes sindicais, pode eventualmente sofrer restrições do empresariado. De fato, isso aconteceu no seio da OIT (Organização Internacional do Trabalho), porém sem sucesso. Houve solidariedade às forças sindicais por parte da CSA (Confederação Sindical dos Trabalhadores/as das Américas), que fez ampla defesa no Continente das condições sociais vigentes naquele país. O Uruguai é atualmente o único exemplo de sucesso dos governos de esquerda na região.

 

MAIOR RIQUEZA PER CAPITA: dados do Banco Mundial (BM) mostram que a riqueza mundial, apesar de dificuldades pontuais, cresceu 66% nas últimas duas décadas. Ao mesmo tempo, o BM alertou sobre a concentração de renda na mão de poucos. O caso brasileiro é dramático: quase 30% da renda nacional está em mãos de menos de 1% da população e os ricos brasileiros estão à frente dos ricos do Oriente Médio. Foi no contexto da riqueza per capita que o Uruguai passou o Chile, Argentina e Brasil. Os dados revelam que o Uruguai detém US$ 254.60l de riqueza per capita, enquanto Chile, que era o primeiro, passou para o segundo lugar com US$ 237.713. O Brasil está com US$188.580 e a Argentina com US$ 126.516. O próprio BM disse que o destaque foi o Uruguai como o país da América Latina e Caribe com maior riqueza per capita.

 

INDICADORES: para calcular a riqueza combinam-se vários indicadores: capital natural (como terras destinadas à agricultura, bosques, áreas terrestres protegidas, minerais e energia); capital humano (renda ao longo da vida de uma pessoa); capital produzido (infraestrutura, maquinaria, imóveis, equipamentos e terrenos a preço de mercado); e ativos externos líquidos (soma dos ativos e passivos externos de um país, como inversões estrangeiras diretas e reservas internacionais). Segundo o BM “indicou-se que, em termos gerais, o capital humano foi o componente mais importante da riqueza, enquanto que o capital natural representou quase a metade da riqueza dos países de renda baixa”. O presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim (americano de ascendência coreana), declarou: “Fortalecendo e promovendo o capital natural e humano, os países do mundo podem fomentar a riqueza e fortalecerem-se”. (El Pais, 07/02/2018). Isso é bastante preocupante porque sabe-se que o Brasil não vem fazendo nada neste sentido.




logo

UGT - União Geral dos Trabalhadores


Rua Formosa, 367 - 4º andar - Centro - São Paulo/SP - 01049-911 - Tel.: (11) 2111-7300
© 2021 Todos os direitos reservados.