UGT UGT

Filiado à:


Filiado Filiado 2
Home | Notícias
Home | Notícias

NOTÍCIAS

Prévia da inflação sobe para 0,14%, mas índice é o menor para novembro em 21 anos


22/11/2019

 

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que é uma prévia da inflação oficial no país, subiu para 0,14% em novembro, depois de registrar 0,09% no mês anterior. Esse é o menor resultado para o mês desde 1998, quando a taxa ficou em -0,11%. No ano, o índice acumula alta de 2,83% e, em 12 meses, de 2,67%, conforme divulgado hoje (22) pelo IBGE.

 

A leve aceleração foi puxada pelos transportes (0,30%), impactados pelo aumento da gasolina e do etanol, de 0,76% e 0,52% em outubro para 0,80% e 2,53% em novembro, respectivamente. Os preços do óleo diesel (0,58%) e do gás veicular (0,10%) também subiram, levando o resultado dos combustíveis a um aumento de 1,07%. As passagens aéreas tiveram alta de 4,44%, após variação de 2,10% em outubro.

 

O grupo vestuário também acelerou, ficando em 0,68% em novembro, por conta das altas dos itens roupa masculina, feminina e infantil. Os preços das joias e bijuterias também aumentaram em relação ao mês anterior. O mesmo ocorreu com as despesas pessoais, que subiram de 0,16% para 0,40%, influenciadas pelos subitens empregado doméstico (0,31%) e jogos de azar (2,46%).

 

Alimentação e bebidas apresentaram ligeira alta no índice de novembro (0,06%), após três meses consecutivos de deflação. A alimentação fora do domicílio passou de uma estabilidade de preços em outubro para uma alta de 0,12% em novembro. Além disso, a alimentação no domicílio, que havia apresentado queda de 0,38% em outubro, variou 0,03%. As carnes subiram 3,08%. Por outro lado, destacam-se as quedas da cebola (-18,60%), do tomate (-8,00%), da batata-inglesa (-7,92%) e do leite longa vida (-1,67%).

 

Na direção contrária, o grupo habitação apresentou a maior variação negativa e o maior impacto negativo no índice do mês (-0,22% e -0,04 p.p.). Esse resultado foi influenciado pela queda na energia elétrica (-1,51%), por conta da redução média de 5,30% nas tarifas residenciais de uma das concessionárias de São Paulo. Em Brasília e em Goiânia também houve redução nas tarifas.

 

Além disso, em novembro, passou a vigorar a bandeira tarifária vermelha patamar 1, cujo valor da cobrança adicional foi reajustado de R$ 4,00 para R$ 4,169 a cada 100 quilowatts-hora consumidos. Em outubro, estava em vigor a bandeira amarela, em que a cobrança adicional foi de R$ 1,50 a cada 100 quilowatts-hora.

 

Fonte: Agência IBGE




logo

UGT - União Geral dos Trabalhadores


Rua Aguiar de Barros, 144 - Bela Vista - São Paulo/SP - 01316-020 - Tel.: (11) 2111-7300
© 2013 Todos os direitos reservados.