UGT UGT

Filiado à:


Filiado Filiado 2
Home | Notícias
Home | Notícias

NOTÍCIAS

ANP inicia, no Rio, 5ª rodada de licitações de áreas do pré-sal


28/09/2018

Governo espera arrecadar R$ 6,8 bilhões

 

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) iniciou hoje, em um hotel da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, a 5ª Rodada de Licitações de Partilha da Produção de petróleo em áreas do pré-sal.

 

Serão oferecidos quatro blocos de exploração e produção nas bacias de Campos e Santos: Saturno, Titã, Pau-Brasil e Sudoeste de Tartaruga Verde.

 

A área de Tartaruga Verde foi a única pela qual a Petrobras manifestou ao Ministério de Minas e Energia interesse de preferência, o que significa que, pelas regras do pré-sal, caso a estatal brasileira não consiga arrematar esse bloco, poderá se consorciar às empresas vencedoras e obter uma participação de 30% como operadora da exploração de petróleo.

 

Caso todos os quatro blocos venham a ser arrematados pela iniciativa pública, o governo federal arrecadará em bônus de assinatura R$ 6,8 bilhões.

 

ANP está otimista

 

Pouco antes do início do leilão, o diretor-geral da ANP, Décio Oddone, falou da expectativa sobre a rodada de hoje. “A expectativa é muito boa, eu espero que o leilão seja bem-sucedido, estamos leiloando áreas do pré-sal que são bem interessantes. Eu acredito que todas as quatro áreas serão arrematadas”.

 

A avaliação de Oddone é de que as áreas que deverão ser alvo da maior disputa são Saturno e Titã, as mais atraentes.

 

Ao todo 12 empresas foram habilitadas a participar da rodada desta sexta-feira:

- Chevron Brazil Ventures LLC - Estados Unidos

- Cnooc Petroleum Brasil Ltda. - China

- Ecopetrol S.A – Colômbia

- Equinor Brasil Energia Ltda. – Noruega

- ExxonMobil Brasil - Estados Unidos

- Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras) – Brasil

- BP Energy do Brasil Ltda. - Reino Unido

- Cnodc Brasil Petróleo e Gás Ltda. - China

- DEA Deutsche Erdoel AG - Alemanha

- QPI Brasil Petróleo Ltda. - Catar

- Shell Brasil Petróleo Ltda. - Reino Unido

- Total E&P do Brasil Ltda. - França

 

Ainda segundo a ANP, apenas a petroleira alemã DEA Deutsche Erdoel AG ainda não possui contrato para exploração e produção de petróleo e gás natural no Brasil.

 

Protestos

 

Do lado de fora do hotel, manifestantes protestam contra a realização do leilão. Um grupo das organizações não governamentais 350.org e Coesus encheu um balão com o formato do mapa do Brasil e levou fotos de desastres ambientais provocados por acidentes envolvendo a produção de petróleo.

 

O coordenador de engajamento e comunidades das ONGs, Ilan Zugman, disse que investir em combustíveis fósseis aumenta a emissão de gases do efeito estufa e dificulta a meta de impedir que o planeta aqueça mais de 1,5 graus celsius.

 

"A gente não é contra o progresso, a gente não é contra o desenvolvimento. Já estão disponíveis as energias solar e eólica e elas estão ficando cada dia mais baratas e gerando tantos empregos quanto os combustíveis fósseis", disse ele. "O governo brasileiro prefere investir em uma energia do passado e que causa impacto para a saúde e o meio ambiente", finalizou.

 

Fonte: Agência Brasil

 




logo

UGT - União Geral dos Trabalhadores


Rua Aguiar de Barros, 144 - Bela Vista - São Paulo/SP - 01316-020 - Tel.: (11) 2111-7300
© 2013 Todos os direitos reservados.